Atualmente, com a vasta quantidade e inúmeras possibilidades de ferramentas de monitoramento do comportamento dos alunos em uma ação de aprendizagem, o profissional de RH não pode mais se limitar a indicadores como as famosas “quantidades de horas treinadas”.

Esta é uma informação útil, sim, mas que, diante do cenário em que vivemos, altamente tecnológico e em constante mudança, se torna limitada. Já é possível ir muito além. A análise de dados vem influenciando o nosso dia a dia em muitos sentidos e com a Educação Corporativa não poderia ser diferente. Mas independente de áreas ou segmentos, ela vem se provando como um dos fatores mais relevantes para determinar curvas de crescimento e desenvolvimento e é uma parte indispensável da vida corporativa.

A alta liderança e o próprio mercado pedem cada vez mais análises profundas e complexas. As organizações vêm valorizando intensamente pesquisas, reports e feedbacks de seus programas de treinamento corporativos. E é justamente essa a ideia do Learning Analytics, o estudo e análise do impacto da aprendizagem em seus alunos.

Mas esse tema ainda gera muitas dúvidas e inseguranças no profissional de RH e T&D. Pensando em auxiliar na superação dessas barreiras, elaboramos algumas dicas para aproveitar as possibilidades que esse contexto apresenta.

Explore e conheça a fundo seu LMS

Você já investigou todos os recursos disponíveis em seu LMS – Learning Management System ou até no Google Analytics integrado à sua plataforma? Esta é uma fonte riquíssima em informações, essenciais para sua análise posterior. Esteja familiarizado e a par de todos os relatórios e dados brutos que podem ser fornecidos. Este passo é essencial para os demais, pois é a base de todas as informações e define o que é possível ser obtido e correlacionado.

Quais métricas utilizar?

Está perdido em meio a tantas opções que seu LMS fornece? Veja por onde começar:

  • Taxas de progresso ou conclusão: indicam o andamento dos alunos em uma ação de aprendizagem e a quantidade de conclusões já obtidas. Com isso, você saberá se os colaboradores estão realmente completando os módulos, se estão progredindo ou se há lacunas que precisam ser preenchidas com recursos e materiais complementares.
  • Registros de tempo: ações que demoram muito tempo para serem concluídas podem indicar desmotivação, excesso de trabalho ou até mesmo um erro na mensuração do tempo disponibilizado para a atividade. Em compensação, cursos concluídos muito rapidamente podem indicar que seu conteúdo é fácil ou já conhecido pelos colaboradores.
  • Avaliações de proficiência: com os resultados das avaliações de conhecimento em mãos, pode-se medir a competência e compreensão dos profissionais em relação ao tema proposto. Este dado é ainda mais útil quando as avaliações são realizadas antes do curso e após a sua finalização, permitindo que se trace um comparativo com relação ao que foi aprendido na atividade.
  • Avaliação de curso: os profissionais gostaram das atividades? Recomendariam o curso a outros colegas? Consideraram o conteúdo relevante para o trabalho? As opiniões dos colaboradores com relação a um curso são extremamente valiosas para aprimorar, cada vez mais, as ações de aprendizagem oferecidas. Analise também as avaliações de instrutores ou facilitadores. Lembre-se que questionários e pesquisas anônimas evitam o receio de represálias e desconfortos.
Identifique o que será mensurado

Defina o que deseja medir e monitorar e estabeleça seus respectivos indicadores e objetivos. Por exemplo: a “eficácia de aprendizagem” e a “excelência operacional” são os dois principais indicadores de aprendizagem.

Um exemplo de objetivo para a “eficácia da aprendizagem” pode ser alcançar uma taxa de 95% de conclusão nas atividades propostas. Então, seu indicador-chave, será a “taxa de conclusão”. Já para a “excelência operacional”, pode-se ter um outro objetivo, como reduzir o custo médio de cada aluno por dia de treinamento em 10%. Neste caso, o indicador-chave a ser observado seria o custo médio de cada aluno por dia.

Determine métodos ou dimensões

Agora é hora de definir como deseja relatar cada métrica. É possível que, em uma grande corporação, por exemplo, seja necessário prover informações sobre determinadas localidades, cargos, unidades de negócios, entre outras dimensões.

Monte seu Learning Dashboard

Ao apresentar os seus principais dados e análises, é preciso montar um Learning Dashboard de acordo com as expectativas de seu público – mas sempre de forma bastante visual. Altos executivos gostam de visualizar as principais métricas e concluir rapidamente se as metas estão sendo alcançadas ou não. Já gerentes de RH e T&D precisam ter acesso a informações mais detalhadas, como objetivos e medidas segmentadas por projetos ou ações.

O analytics faz a escavação de dados que uma organização possui e oferece a oportunidade de extrair desse material bruto informações úteis que podem ser usadas no negócio estrategicamente, ajudando a empresa a aumentar sua eficiência e eficácia. Ao ser usado de forma apropriada, o Learning Analytics pode ajudar a sua organização a propiciar experiências de aprendizagem cada vez melhores e mais personalizadas para seus colaboradores, adquirindo, assim, uma maior vantagem competitiva.

Referências:

DEBUKA, V. How Data Analytics Is Influencing eLearning. eLearning Industry, out. 2017. Disponível em <https://elearningindustry.com/how-data-analytics-is-influencing-elearning>. Acesso em: 30 out. 2017.

Measuring Effectiveness With Learning Analytics. Chief Learning Officer, Chicago (EUA), mai. 2005. Disponível em <http://www.clomedia.com/2005/05/03/measuring-effectiveness-with-learning-analytics/>. Acesso em: 30 out. 2017.

PAPPAS, C. 6 LMS Metrics eLearning Professionals Should Look For. eLearning Industry, jul. 2016. Disponível em <https://elearningindustry.com/lms-metrics-elearning-professionals-should-look-for>. Acesso em: 30 out. 2017.

PAPPAS, C. 8 LMS Reports Every eLearning Professional Needs To Check. eLearning Industry. Disponível em <https://elearningindustry.com/lms-reports-elearning-professional-needs-check>. Acesso em: 30 out. 2017.

Q&A: How can I use analytics to benefit my students? Jisc, Reino Unido, mar. 2013. Disponível em <https://www.jisc.ac.uk/news/qa-how-can-i-use-analytics-to-benefit-my-students-20-mar-2013>. Acesso em: 30 out. 2017.

What benefits can Learning Analytics provide? LACE. Disponível em <http://www.laceproject.eu/faqs/what-benefits-can-learning-analytics-provide/>. Acesso em: 30 out. 2017.